Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Image title

O início da devoção e homenagens à padroeira da Arquidiocese de Santarém, confunde-se com a própria história de Santarém, desde sua origem. O fundador da cidade, o Jesuíta Padre João Felipe Bettendorf, consagrou a então aldeia dos Tapajós à Virgem Imaculada. Há registros de que já o primeiro Círio foi realizado em 29 de novembro de 1919.

A construção da Igreja Matriz

Em 1754, o governador Francisco Xavier de Mendonça Furtado, com firme propósito de criar uma nova paróquia junto à Fortaleza do Tapajós, mandou que ali fosse construída uma nova Igreja que viria a servir de Matriz para a novel freguesia. O primeiro templo em honra da padroeira de Santarém foi construído pelo padre João Felipe Bettendorf, com a ajuda dos indígenas, ainda no ano de 1661. Era uma pequena capela, feita em taipa de mão e coberta de palha. Ela ficava localizada junto à atual Praça Manoel Waldomiro Rodrigues dos Santos. Foi substituída por outra igreja, maior, feita em taipa de pilão, alguns anos depois.

Iniciada a construção do novo templo em 1754, as obras se estenderiam por longos anos. Tanto que, quando da instalação da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e posse de seu primeiro pároco, no dia 03 de julho de 1757, a cerimônia ocorreu ainda na antiga igreja dos Jesuítas, situada nas proximidades de onde hoje se encontra a Praça Rodrigues dos Santos.

A conclusão e dedicação da Matriz de Santarém, depois de mais de 70 anos de iniciada sua construção, se deve, em grande parte, à dedicação e ao zelo de um padre português, Manuel Fernandes Leal, com a ajuda de dois irmãos: José Fernandes dos Reis e Antônio Fernandes dos Reis, conhecidos como “os preguiças”.

Image title

A Dedicação da Igreja – 1819

Dada por concluída oficialmente a obra, a Igreja Matriz foi oficialmente inaugurada e dedicada à Nossa Senhora da Conceição, durante a realização da grande festividade da padroeira da então Vila e Paróquia de Santarém, a 08 de dezembro de 1819. A data magna foi escolhida por reunir o maior número de pessoas que vinham das comunidades, fazendas, e aldeias próximas para a celebração.

Sabe-se deste fato por meio do botânico João Barbosa Rodrigues que, de passagem por Santarém, no ano de 1872, transcreveu algumas das informações do “Livro Tombo” da Paróquia de Santarém. Este livro, com todo o inventário que nele havia, infelizmente, se encontra perdido nos dias atuais.

O templo mãe dos templos católicos em Santarém, não era a mesma igreja que podemos ver hoje. Tinha duas torres mais baixas que as atuais (uma desabou e outra foi demolida) e era de uma linha arquitetônica desprovida de ornamentos. Seu exterior e o interior eram caiados de branco e os altares feitos de madeira, material abundante na região.

Em 1903, a Matriz se tornaria Catedral, Igreja da Sé na nova Prelazia criada, com sede em Santarém. Em 2019, exatos duzentos anos depois de concluída, o templo tornou-se Catedral Metropolitana, sede da Arquidiocese de Santarém. Apesar de o Templo haver sofrido diversas reformas e intervenções que a descaracterizaram por completo ao longo desses 200 anos, a Catedral continua sendo o marco referencial da vida de fé do povo que vive na foz do rio Tapajós.

Algumas observações:

Dedicação: é uma cerimônia religiosa em que se consagra um templo para a plena realização do Culto Divino. Entre os vários ritos da cerimônia está a unção do Altar e das paredes do templo, significando que aquele local passa a ser um local sagrado, de encontro com Deus. Tem prerrogativa de Dedicação as igrejas Matrizes, Catedrais e Basílicas.

Matriz: é o título dado ao templo que é sede de uma Paróquia. A Matriz de Nossa Senhora da Conceição tem esse título desde 1757. HOJE, a cidade de Santarém possuí outras igrejas matrizes, tais como: São Sebastião, São Raimundo, Nossa Senhora Aparecida, São Francisco, Santíssimo, Nossa Senhora de Fátima, Cristo Libertador, Nossa Senhora do Rosário, Sagrada Família, entre outras.

Catedral: é o título dado ao templo que é sede de uma Prelazia ou Diocese. Nela se encontra a “cadeira do Bispo”, também chamada de “Cátedra”, daí que a Catedral é a Igreja Sede, ou Sé, onde o Bispo tem a prerrogativa do seu ministério pastoral. A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição se tornou CATEDRAL em 1903, quando foi criada a Prelazia de Santarém. Na ocasião em que uma Diocese se torna sede de uma Província Eclesiástica, elevada à categoria de Arquidiocese, a Catedral se torna Catedral (ou Sé) Metropolitana, por sua importância diante de outras Dioceses e Prelazias da região.

Image title

O Círio de Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Há mais de 70 anos, no final do mês de novembro, as ruas da cidade enchem-se de gente e de fé. O círio, num percurso de 7 Km, percorre as principais ruas e avenidas da cidade, como São Sebastião, Cuiabá e Tapajós. São mais de 3 horas de romaria que reúne católicos de várias cidades do Baixo Amazonas, constituindo-se como o maior Círio do Oeste do Pará e um dos maiores do Estado depois do Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Belém.

No dia 8 de dezembro, o dia da Festa de Nossa Senhora da Conceição, acontece o encerramento das comemorações em homenagem à padroeira da cidade com festa, o grande arraial, culminando em uma tradicional queima de fogos. Acontece ainda a Caminhada de Fé com Maria, ou seja, uma romaria de milhares de fiéis saindo de madrugada da cidade de Mojuí dos Campos, município vizinho de Santarém, até a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, onde é celebrada uma missa de recepção aos romeiros que chegam a um número de quase 50 mil pessoas.

Com informações do padre Sidney Canto.

Compartilhe esta publicação
Nossas redes sociais

Desenvolvido por Cúria Online do Brasil

Top