Centro Bom Pastor

  • R. Afonso Pena, 26, Santa Clara, Santarém
  • pamen@arquidiocesedesantarem.org.br

Mais Informações

Assim como Jesus escolheu doze apóstolos para iniciar a caminhada, a Pastoral do Menor na Diocese de Santarém em 1982 - iniciou suas atividades e sua história com as crianças e adolescentes empobrecidas no município. Neste ano o Bispo da Diocese de Santarém, Dom Tiago Ryan, OFM, pediu a Coordenação Diocesana de Pastoral para fazer um contato com as crianças e adolescentes que trabalhavam nas ruas da cidade para ver de perto a situação em que viviam. Foi a partir desta iniciativa que Irmão Ronald David Hein, da Congregação de Santa Cruz, junto com alguns membros da Associação dos Educadores Católicos (AEC) iniciaram um trabalho junto a doze (12) crianças e adolescentes engraxates.

As primeiras reuniões aconteciam semanalmente na Praça da Matriz, e depois no salão paroquial da Matriz, onde os meninos recebiam orientação para a vida, uma refeição e uma oportunidade para brincar.

A Pastoral do Menor é hoje uma instituição pastoral que, pertence às Obras Sociais da Diocese de Santarém, registrada como entidade de Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal e no CNAS (Conselho Nacional de Assistência Social) e COMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente). Temos como missão, promover e defender a vida das crianças e adolescentes empobrecidas e em situação de risco pessoal e social. Acreditamos que todas crianças e adolescentes são pessoas humanas, criadas na imagem de Deus, com direitos fundamentais que garantem condições para uma vida digna. São nossos irmãos e irmãs que merecem os nossos cuidados. Eles esperam aprender, através do nosso exemplo, como cumprir com seus deveres como cidadãos, para ajudarem na construção de uma sociedade mais justa e fraterna.

Toda criança tem dons a serem desenvolvidos para sua própria felicidade e para serem colocados a serviço da família e da comunidade. Proporcionando um ambiente educativo, toda criança e adolescente aprende logo a diferença entre o bem e o mal. A orientação para a vida é necessária para preveni-los dos perigos do mau exemplo das pessoas e os exageros dos meios de comunicação.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, toda criança e adolescente deve ser Prioridade Absoluta na sociedade. O País que vive por este princípio é um País que está caminhando para ser uma sociedade justa e fraterna.

No cumprimento de sua missão, a Pastoral do Menor não se presta a fins políticos ou ideológicos, nem admite preconceitos de raça, cor, sexo, bairro ou religião.

Baseado nos princípios: “Promover para Integrar” e “Educar para Prevenir”, a PAMEN acredita que atividades sócio–educativas, em um ambiente seguro, podem prevenir situações problemáticas e melhorar a conduta pessoal dos participantes. As atividades e cursos oferecidos podem contribuir para uma qualidade de vida melhor, promover talentos e valores humanos e levantar a auto-estima. As famílias são esclarecidas sobre seus deveres e direitos como cidadãos (ãs) brasileiros (as). A Pastoral do Menor procura orientar todos para viverem como irmãos e irmãs, filhos e filhas do mesmo Pai, DEUS.

Dentro de nossos Eixos estruturais fundamentais estão a Mística – Solidariedade – Justiça – Organização. A pastoral do menor, na realização de suas ações, leva em consideração as dimensões da ação: Comunitária sociotransformadora -  Pedagógica – Política – Religiosa – Profética.

Atualmente, a Pamen conta com 13 a núcleos espalhados pela cidade de Santarém, mais de 2 mil crianças e adolescentes atendidos, 80 voluntários. Atualmente assume a coordenação Arquidiocesana Pe. Eugênio Venzon, SCJ. 

Ao longo destes mais de Trinta anos a Pastoral do Menor vem se consolidando como uma referencia na promoção humana de crianças e adolescentes, foram muitas vidas tocadas, muitas famílias restauradas, varias campanhas realizadas (Natal sem Fome, Faça a Diferença, Dê Oportunidade, Doação de Material Escolar), Não podemos deixar de destacar as muitas parcerias firmadas durante esses anos.

Temos Muito a agradecer, pois as dificuldades são muitas, mas, as vitórias são gratificantes. Aos nossos Educadores, voluntários que se empenham em cumprir com maestria suas atividades lembrando sempre o que Jesus nos disse: “Quem acolhe o menor, a mim acolhe!”.

Texto: 

Kennedy Harilal

Vice-coordenador Arquidiocesano

Pastoral do Menor - Santarém

Compartilhe esta publicação

Desenvolvido por Cúria Online do Brasil

Top